skip to Main Content
Menu
7 Maiores Desafios Dos Recursos Humanos

7 maiores desafios dos recursos humanos

Com a transformação global ocorrendo em um ritmo cada vez mais acelerado, é preciso algo a mais. E, este algo a mais é encontrado nos recursos humanos, nas pessoas que compõem as empresas e que farão a diferença frente ao uso de todas essas tecnologias e inovações.

Trabalhar a área de recursos humanos é um dos grandes desafios de todas as organizações. Segundo as previsões dos especialistas, 40% das empresas da “Forbes 500” deixarão de existir nos próximos 10 anos. Se isso é verdade para as maiores, então o risco deve ser bem maior quanto mais descemos na lista. Portanto, qual é o fator que pode tirar uma empresa dessa estatística? A resposta é simples: as pessoas envolvidas na empresa, os colaboradores são parte muito importante para o caminho do sucesso!

Gestão das Pessoas

A gestão de pessoas é um desafio diário, tanto para quem está em recursos humanos, quanto para os próprios líderes da organização. Lidar com as subjetividades dos funcionários, compreender suas necessidades e conciliá-las aos objetivos organizacionais exige um trabalho constante de análise e busca de soluções.

Muitas vezes, você pode até pensar que está sozinho nessa empreitada e que apenas sua organização passa por momentos de dificuldade quando se trata de gestão de pessoas, mas, a verdade, é que todas enfrentam esse desafio. Esperamos que este conteúdo ajude a identificar possíveis caminhos para a superação de barreiras na sua organização e traga novos horizontes para o seu trabalho.

Modelos

Chiavenato é um dos autores nacionais mais conhecidos e respeitados na área de Administração de Empresas e Recursos Humanos e resume bem quando afirmou que “As pessoas são a força propulsora que conduz ao sucesso das organizações. E o recursos humanos deve ser o propulsor das pessoas. O motor do desenvolvimento e da inovação.”

Para explicar o desa­fio de fazer gestão dos recursos humanos e do conhecimento nas empresas hoje, o indiano Devsen Kruthiventi, diretor de aprendizagem e desenvolvimento, gestão do conhecimento e comunicação interna da Tata Projects Limited, recorre à deusa Saraswati. Ela que protege artesãos, pintores, músicos, atores, oradores, escritores e artistas em geral. Ela é representada com quatro braços, que seguram um instrumento musical, um rosário indiano e um livro. Aparece também sentada numa flor de lótus branca, na companhia de um cisne.

“O rosário significa meditar; o instrumento, socializar; o livro, perpetuar; e o cisne é a única ave capaz de separar o leite da água, o que mostra a importância de saber selecionar”, diz Kruthiventi.

Recrutamento

No recursos humanos, a gestão precisa começar no recrutamento. É importante buscar nas pessoas comportamentos de quem oferece com generosidade, busca com humildade, expõe com coragem e constrói coletivamente a fim de seguir fomentando essa cultura.

A forma como a empresa se envolve com essas três áreas — processos, pessoas e tecnologia — vai determinar sua maior ou menor capacidade de fazer a gestão Elas são as facilitadoras do fluxo de conhecimento.

Contratação de Recursos Humanos                                     

Contratar bem é fundamental. Devemos aprender a contratar. O recrutamento é um processo que varia de acordo com cada organização, e isto está diretamente atrelado ao processo de abertura de vaga do setor, sendo assim, permitindo ao órgão de recrutamento da empresa dar início a este processo, pois ainda nos dias de hoje o setor de RH é visto como staff (apoio), (CHIAVENATO, 2006).

Para se chegar a excelência em recrutamento e seleção, é preciso saber quais as reais necessidades e como se deseja supri-la, no que abrange a carência de recursos humanos, e a partir daí tomar a decisão cabível.

Dentro do processo de recrutamento, dependendo das políticas da organização e da gestão de Recursos Humanos, poderão ser adotados três meios diferentes de recrutamento, sendo eles interno, externo e misto. O setor de recursos humanos deve contabilizar as demandas e carências, devendo abranger todas as áreas e níveis organizacionais, colocando as características de forma adequada, dentro da realidade da empresa, esta busca interna pode ser substituída por um trabalho mais amplo, que se chama planejamento de pessoal.

Treinamento

Devemos saber treinar os nossos colaboradores, desenvolver suas habilidades. Conhecer cada perfil e treinar o auditivo, o sinestésico e o visual de formas diferentes. As pessoas tem um tempo de processo. Muitas vezes você coloca um colaborador numa função e ele não está preparado para isso. É como andar de carro. Você não sai dirigindo no primeiro dia, nós temos um aprendizado neuromotor, temos que ser ensinados. Por isso, treinar a sua equipe é fundamental.

Resistência à mudanças

A resistência à mudanças é normal nas pessoas, nós também somos resistente a mudar, a aceitar uma nova gestão, um concorrente, ou qualquer coisa que nos tire da zona de conforto.

O que mais funciona nos recursos humanos é criar uma estratégia. Por exemplo, se você chegar no seu funcionário e dizer que a meta são 60 novos clientes por mês, ele ficará assustado e com certeza dirá que isso é impossível. Mas se você dividir isso e mostrar à ele que para atingir essa meta ele precisará de apenas 3 novas indicações por dia, sendo que ele terá oito horas para fazer isso, ele pensará de outra forma e será convencido de que é possível. O nome disso? Estratégia.

Tendência que não muda

As pessoas continuam a constituir o principal elemento. O capital humano apresenta-se como o diferencial entre o sucesso ou fracasso de qualquer empresa. Por isso, para que esse ativo imensurável chamado recursos humanos possa de fato contribuir com os objetivos organizacionais, as empresas precisam conseguir ter estrutura e capacidade de fazer a gestão das pessoas, dos seus recursos humanos.

Entre todos os desafios, crescer com as pessoas sempre fará parte. E concluímos com outra frase de Chiavenato que diz: “A Gestão de Pessoas está deixando de ser a área voltada para trás, para o passado e para a tradição, e algumas poucas vezes para o presente, para se constituir em uma área aprumada para frente, para o futuro e para o destino da empresa. Não mais a área que privilegia a tradição, para ser a área que focaliza o seu destino. Não mais a área que “vem de” e que anda de costas, para ser a área que “vai para” e que corre em direção ao futuro que está chegando. Esta será a gestão de pessoas de hoje e de amanhã [mas, para que isso ocorra, velhos modelos mentais precisam ser vencidos]”.

O Recursos Humanos é, cada vez mais, um setor-chave dentro das empresas. Por lidar diretamente com os talentos da organização, a área é responsável direta pela capacitação, satisfação e resultados obtidos pelos funcionários. No cenário atual, o mercado de trabalho vem se tornando ainda mais dinâmico, ampliando os desafios de Recursos Humanos. Com transformações diárias e novas tendências surgindo a todo momento os desafios de Recursos Humanos se ampliarão em 2019 e nos próximos anos. Esteja atento, aberto a novas perspectivas e em especial a se adaptar a ter um  olhar mais amplo sobre as possibilidades existentes em cada pessoa e em toda oportunidade. Treinamentos, tecnologias e inovação fazem parte desse processo para os que permanecem no mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
×Close search
Search